09
Out 08

O movimento da Cruz Vermelha nasceu na necessidade humanitária de prestar auxílio aos soldados feridos que eram abandonados em pleno campo de batalha.

No dia 24 de Junho de 1859, Jean Henry Dunant testemunhou acidentalmente uma batalha mortífera, no norte de Itália.

A visão de sofrimento e de abandono de milhares de soldados encheo-o de horror e compaixão, levando-o a organizar um grupo de socorro voluntário. Este grupo era essencialmente constituído por mulheres das aldeias vizinhas ao local da batalha, que prestavam auxílio às vitímas em pequenos "hospitais" volantes instalados em quintas, igrejas, conventos e mesmo nas habitações.

Em 1863, Jean Henry Dunant fundou o Comité Internacional para ajudar os militares feridos. A designação foi alterada, a partir de 1876, para Comité Internacional da Cruz Vermelha.

Por volta de 1914, no início da 1ª Guerra Mundial, os médicos do mundo resolveram unir-se num país e aí situar a Cruz Vermelha. Escolheram a Suiça para o fazerem.

Na 1ª Guerra Mundial, o Comité Internacional da Cruz Vermelha e as Sociedades Nacionais depararam-se com uma guerra que matou milhares de combatentes, resultou em milhares de prisioneiros de guerra, epidemias e fome numa escala jamais vista. Em 1918, a guerra acabou, mas a fome e as epidemias continuaram a matar outros milhões. E a Cruz Vermelha continou a ajudar os que mais sofriam, até hoje.

 

Enfermeira da Cruz Vermelha francesa a entrar no comboio dos soldados que iam para a guerra (1917)

 

              Hospital numa igreja, durante a guerra (1917)

 

Carta que representa a intervenção da Cruz Vermelha na Grande Guerra (1915)

 

 

Sara Morera e Mara Ribeiro

 

publicado por projecto9b às 18:45

Outubro 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
16
17
18

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30
31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

arquivos
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO