21
Mai 09

“Com os meus 20 anos, parti no paquete Uíge, em 20\06\1964, para a Guiné.
A viagem demorou 5 dias e 5 noites.
No 3º dia da chegada a Bissau, parti para Bafatá. Passadas 48 horas, como condutor de carros de combate, fui obrigado a partir para o mato, cerca das 22 horas. Deparámos com um grande tiroteio, ao qual ripostámos da mesma maneira, até de madrugada.
Ao início do dia, fomos fazer a batida ao mato e encontrámos um cadáver do inimigo.
Voltávamos para o quartel e, passadas 8\10 horas, voltámos a ser chamados para outros tiroteios.
E assim se passavam os dias e noites, durante os 24 meses que lá estive.
Estive também destacado em Guileje, 4 meses. Fomos atacados em plena noite, no nosso quartel. Tivemos 2 baixas.
Durante esses 4 meses, quase todos os dias havia grandes tiroteios, entre as nossas forças e as do inimigo.
A nossa alimentação era feita no refeitório do quartel, à base de arroz, massa, carne e, no mato, a chamada ração de combate, enlatados.
Nas nossas horas livres, dávamos umas voltas em Bafatá, jogávamos às cartas e, quando podíamos, comíamos em restaurantes.
Passados 23 meses, regressei a Portugal, no paquete Índia, com partida de Bissau dia 21\05\1966, às 23 horas, demorando a viagem até Lisboa 6 dias e 6 noites, devido ao temporal que se fazia sentir no mar.
 
Rodrigo Gonzalez
 
publicado por projecto9b às 00:36

Maio 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
15
16

19
22
23

27
28
29



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

arquivos
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO